fbpx
Que tal uma Semana Grátis? Agende agora sua visita

Coffee Break | Blog L'Oasi

Pausa para o Café, Networking e muita Informação

Gig Economy
Foto: Smartpic
Postado em 25 de janeiro de 2019 por L'Oasi Coworking

Gig Economy e as novas oportunidades de trabalho

Uma coisa é certa: a forma de trabalhar e prestar serviços mudou. Se antes, era essencial ser contratado por uma empresa e, todos os dias, estar no local para exercer as atividades, hoje, isso já não é mais necessário.

A Gig Economy une os que prestam serviços àqueles que precisam dele, sem criar vínculos. Com o meio digital se expandido cada dia mais, os mais diversos segmentos exercidos por profissionais autônomos ganham mais espaço.

O que é Gig Economy

Definida pelo Dicionário de Cambridge como “Uma forma de trabalho baseada em pessoas que têm empregos temporários ou fazem atividades de trabalho freelancer, pagas separadamente, em vez de trabalhar para um empregador fixo”, a Gig Economy também é conhecida como “economia freelancer” ou “economia sob demanda”.

Esse termo surgiu para definir um estilo de trabalho em que, de um lado, encontram-se os trabalhadores temporários ou autônomos e, de outro, empresas que procuram profissionais independentes para realizarem serviços pontuais.

Mesmo não sendo uma nomenclatura nova, ela tornou mais difundida por conta da era digital em que vivemos atualmente, momento em que os mais variados tipos de serviços e produtos necessitam apenas da internet para darem certo.

A vantagem desse forma de economia para as empresas é que ela fica isenta de vínculos empregatícios e todos os seus custos. Já para os freelancers, as vantagens englobam a possibilidade de fazer seus próprios horários, definir o rumo de sua carreira, e até de escolher com qual empresa quer ou não trabalhar.

Como o Coworking pode ajudar os profissionais dessa categoria

Com dito anteriormente, a Gig Economy se tornou mais conhecida devido à tecnologia, especialmente por conta das plataformas digitais Uber e Amazon.

Aproveitando essa “abertura”, diversos profissionais do meio digital, e de vários outros segmentos que permitem essa flexibilidade de trabalho, aproveitaram para ganhar mercado.

Porém, para que a atividade desenvolvida dessa forma dê certo, e que o profissional tenha sucesso em sua caminhada, é preciso passar por algumas fases, e uma delas envolve a transição.

Visto estarmos habituados a um modelo de trabalho em que é necessário estar presente na empresa para “fazer valer o salário do mês”, muitos têm dificuldade em se adaptar a liberdade que a Gig Economy proporciona. Assim, uma forma de reverter esse impacto é utilizando um espaço Coworking para exercer as atividades.

Em espaços assim o profissional freelancer se beneficia de toda a estrutura de um escritório — e sem ter gastos para montá-lo. Além disso, garante o contato com outros profissionais dos mais variados segmentos e ainda preserva a rotina de sair de casa para trabalhar.

Somado a tudo isso, a Gig Economy tem como uma de suas principais características o fato de ser serviços sob demanda. Ou seja, a empresa somente contrata o profissional para realizar um trabalho específico. Com isso, o freelancer precisa exercitar bem a sua ligação com os clientes para manter a renda mensal que tanto busca.

Ao realizar as atividades em um espaço Coworking o profissional autônomo dispõe de um ambiente perfeito para receber seus clientes e realizar todas as transações que envolvem o fechamento de novos contratados.

Além disso, manter uma rotina para realização das atividades, bem como a concentração, é fundamental para prestar o melhor serviço e, com isso, fidelizar os clientes. Tendo um espaço adequado para trabalhar, esses dois pontos são facilmente colocados em prática.

Gig Economy e Economia Criativa

A crise econômica fez com que muitas pessoas mudassem a forma de trabalhar. Aproveitando da Economia Criativa, diversos ramos de atividade se tornaram ainda mais promissores, principalmente quando exercidos de maneira autônoma.

Essa Economia Criativa, como o próprio nome sugere, engloba atividades que precisam de criatividade para serem realizadas. Segmentos como arquitetura, urbanismo, design, editoração, fotografia são alguns dos que fazem parte desse grupo.

Ou seja, as profissões da Economia Criativa também podem ser consideradas parte da Gig Economy e, tal como as demais, também podem se beneficiar muito dos espaços Coworking para exercerem suas atividades.

E você, já faz parte dessa nova forma de trabalho, que vem ganhando mais adeptos a cada ano? Comente abaixo e contribua com nossa rede de conhecimento!


O L'Oasi Coworking é um escritório compartilhado: diversas empresas e profissionais compartilham a mesma infraestrutura de trabalho. Nosso diferencial é a proposição de criar um ambiente que seja "fértil": seguro e de alto padrão para ajudar na concretização dos sonhos dos empreendedores.


Comente este artigo:

0 Comentários